terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Eternizando momentos

Uma luz violeta entrava pela janela que estava meio entreaberta e passava pelas cortinas, já amarelas pelo tempo. Os lençóis alaranjados ficavam mais intensos com os pequenos raios do sol. Ele já havia acordado. Rolei pela cama procurando seu corpo em minha cama e não obtive a resposta que esperava. Continuei ali, olhando fixamente o teto branco. Ouvi uns ruídos vindos de algum outro cômodo. Esperava que fosse ele, mas havia também a possibilidade de ser a senhora que cuida da limpeza do apartamento, ou então minha companheira de quarto. Tentei levantar-me lentamente, porém, isso ocorreu da forma mais desastrosa possível. Pensei que fosse cair, e isso teria, de fato, realmente acontecido se seus braços não tivessem chego a tempo para me agarrar.  Rindo, me disse: Eu não posso sair um segundo sequer e você parece deixar de estar em segurança. Eu não havia percebido, mas quando me segurou, com apenas uma mão, tinha em outra mão uma bandeja com o nosso café da manhã e com uma florzinha qualquer, aquelas que se pega de jardim do vizinho escondido, já murcha. Dei um sorriso todo bobo e me joguei em seus braços. Depois de um longo abraço, ele sentou ao meu lado e colocou suas mãos sobre as minhas. Sua outra mão se encaixou em meu queixo e com os lábios próximos aos meus, sussurrou: "Bom dia, amorzinho" e deu um breve sorriso. Queria que esse momento durasse para sempre. Como ele consegue me fazer sentir assim? Eu preciso dele, não só agora, nem daqui um mês ou três anos. Eu, nesse instante, tive a certeza que era e seria ele. Eu estava tão distraída pensando em tudo isso que não percebi quando ele preparou uma torrada com manteiga e colocou bruscamente em minha boca, me sujando, propositalmente. Rimos por alguns minutos, enquanto ele colocava a florzinha já em estado de degradação avançada entre meus cabelos e beijava minha testa. Fechei os olhos, pensando que estava sonhando e pedi a Deus que fizesse desse momento a minha realidade.

Um comentário:

  1. É possível "reviver" um mesmo momento várias vezes através das lembranças que atendem ao desejo do coração em repetir os prazeres uma vez gloriosos.

    Gosto de te ler. De maneira simples você compõem textos grandiosos.

    ResponderExcluir