quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Eu poderia fazer qualquer coisa naquele instante, exceto deixar de pensar nele. A ansiedade em conhecê-lo havia se aprofundado. Mas ao mesmo tempo sentia certo anseio em saber o que ele acharia de mim. Acho que aquele nervosismo todo era normal para uma pessoa que voltara a se apaixonar por alguém após um bom tempo.

Às vezes eu acho que eu deveria dizer pra ele, mas esse orgulho dentro de mim não deixa, eu sinto que eu ficaria melhor se falasse, mas não consigo, não sei por que, mas, algo está me dominando por dentro. Já tentei de várias formas dizer, mas tenho certos problemas com essas três palavrinhas, parece que elas entalam no peito e não saem de forma alguma. Com o passar dos dias aquele sentimento crescia, porém deixamos de nos falar um pouco. A saudade insistia em me machucar, se debatendo contra mim. Eu só queria voltar àquele primeiro dia e reviver de novo tudo aquilo. Ouvi-lo dizer que gostava de mim, meu coração batendo cada vez mais forte, meus olhos brilhando... Aquilo havia de certa forma, mexido comigo. Mas então, naquele instante me dei conta que nós havíamos nos afastado um pouco. Eu ainda estava apaixonada por ele, porém não sabia se ainda era correspondida. Queria poder ler mentes. Queria saber o que ele estava pensando naquele momento. Queria fazer parte de sua cabeça, queria estar lá. O medo voltara a tomar conta de mim.

Eu não entendia por que eu estava me sentindo assim, mas era como se ele houvesse me esquecido. Como se outra garota tivesse preenchido aquele lugar que antes pertencia a mim. Mas por outro lado era como se eu soubesse daquilo há muito tempo. Como se desde o início eu soubesse que mais cedo ou mais tarde ele se esqueceria de mim, que eu não passaria de uma simples pessoa que ele conheceu virtualmente. Eu já sabia daquilo, mas não queria aceitar. Preferia acreditar que aquilo daria certo. Mas pelo visto me enganei, ele já não gostava mais de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário